Faça este curso, porque você precisa aprovar em seu próximo exame, concurso ou vestibular.

O lugar da educação

O sistema capitalista, para sobreviver, precisa subordinar a educação aos seus interesses. Sua pretensão é garantir a aceitação passiva do sistema que explora o trabalho. O papel da educação é libertar o ser humano do determinismo neoliberal, desenvolver uma alternativa de sociedade igualitária e emancipadora.

Infelizmente, os governos têm contribuído com isso. A falta de investimento, a não valorização profissional, a ausência de uma política de acesso no ingresso e na permanência na escola têm colocado a educação numa situação de vulnerabilidade frente ao ideário neoliberal.

O indivíduo que ocupa a presidência da República, no seu discurso de posse, anunciou o lema: “Brasil, pátria educadora”. Busca com isso alimentar ilusões. Inicia seu governo fazendo cortes na educação e nomeando como ministro o engenheiro, consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento, um perfil claramente neoliberal. Como político, mostrou a porta da rua da educação pública para os educadores que lutavam por direitos.

A pátria educadora será para o mercado e para o capital.

No Rio Grande do Sul, o novo governador busca a marca do grande negociador, sorrisos, abraços e nenhum resultado concreto. Aliás, na ausência de iniciativas e propostas, vem sempre o “mantra” da negociação. Não paga o piso nacional, não nomeia professores e funcionários, demitiu contratados e a política de cortes vem no mesmo sentido do governo federal. Ora! O vice-presidente da República é do mesmo partido do governador do RS. Tudo junto e misturado!

O discurso do governo estadual é a falta de dinheiro, e responsabiliza o governo anterior. A gestão que começou em janeiro terá que responder por suas ações, ou ausência delas. Explicar como aumentou os salários do governador, vice, secretários, parlamentares, juízes etc., e não tem para cumprir a Lei do Piso. Não adianta transferir responsabilidades, terá que assumir suas escolhas e, pelo que vejo, a educação não será sua prioridade. Caberá a nós, educadores, colocar a educação em primeiro lugar… lutando.


FIM

(REJANE DE OLIVEIRA, http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/?topo=13,1,1,,,13, com modificações nossas para fins didáticos)



redação sobre educação, sistema capitalista, trabalho, determinismo neoliberal, redação dissertativa sobre o papel da educação, sociedade igualitária, valorização profissional, redação pronta sobre escola, sociedade emancipadora, permanência na escola, ideário neoliberal, redação dissertativa sobre Brasil, pátria educadora, educação pública, educador, negociador, piso nacional do magistério, redação dissertativa pronta sobre professor, falta de dinheiro, Lei do Piso salarial do professor, redação sobre responsabilidades