Faça este curso, porque você precisa aprovar em seu próximo exame, concurso ou vestibular.

Somos todos corruptos

Ultimamente esses bordões viraram moda. Do “Somos todos macacos”, abraçado pela massa como resposta a atos racistas e no dia seguinte rejeitado, quando se descobriu que o refrão estampado em camisetas era uma estratégia de marketing, ao “Somos todos Charlie”, repetido até por gente que nunca sequer viu uma das caricaturas da revista francesa atacada pelo terrorismo, mas que apoia a liberdade de expressão.

Acho que está na hora de lançar um novo slogan, que ainda não vi ninguém empunhar: “Somos todos corruptos”.

No país em que pipocam escândalos de corrupção (qual foi o dos últimos 15 minutos?), a lista dos envolvidos parece não ter fim. Aí vem a patrulha denunciando a petrorroubalheira, tudo culpa dos “petralhas”. Depois vem a turma petista, gritando que tudo começou muito antes na história deste país, e que atravessa toda a “tucanalha”. Aí as duas turmas ficam digladiando-se sobre as cinzas de sua credibilidade: ah, o meu mensalão foi menor do que o teu! Eu só desviei R$ 14 milhões para um aeroportozinho familiar, você levou US$ 50 milhões de propina para a Suíça!

Pode até ser que todos tenham razão. Que todos sejam julgados e, os que merecem, condenados. É a lei. Só que o furo é bem mais embaixo (deve andar lá pelas últimas camadas do pré-sal). A corrupção é tão disseminada, que deveria ser tombada como patrimônio nacional. É fácil apontar o dedo para políticos desonestos, mas quem foi mesmo que os colocou lá como nossos representantes? E aqueles empreiteiros, que pagam propina em troca de obras, são mais ou menos culpados? E os médicos que fazem cirurgias desnecessárias para ganhar comissões? E você aí, que naquela viagem da firma coloca uma nota de táxi num valor mais alto, para receber um troquinho a mais? E quem sonega imposto de renda? E eu, que baixo filmes da internet? Quem nunca? Quem de nós resistiria a uma investigação com lupa?

Claro, alguém vai dizer que não se pode comparar, porque as proporções de dano público são muito diferentes. Mas será que não é por meio desses pequenos desvios que a cultura da corrupção se reproduz, se instala e se incrusta na nossa sociedade? De tão desacreditados no sistema, cada um tenta fazer valer a sua própria vantagem. Quanto maior o poder, maior o naco abocanhado. Qual a distância que separa o jeitinho do próximo escândalo nacional?

Precisamos aceitar essa constrangedora verdade. Os políticos corruptos não são ETs perversos que chegaram e se apoderaram das nossas instâncias superiores. São legítimos representantes da ética em nossa sociedade. Vamos lá, pessoal, chega de hipocrisia. Somos todos corruptos. Quem vai fazer a camiseta?


FIM

(LETÍCIA DUARTE, http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/page/2/?topo=13%2C1%2C1%2C%2C%2C13)



redação sobre corruptos, atos racistas, estratégia de marketing, liberdade de expressão, redação dissertativa sobre sociedade brasileira, petrorroubalheira, petralhas, credibilidade, mensalão, propina, patrimônio nacional, redação pronta sobre corrupção, políticos desonestos, empreiteiros corruptos, internet, dano público, redação dissertativa pronta sobre cultura da corrupção, lei da vantagem, poder, políticos corruptos, ética, hipocrisia, redação sobre jeitinho brasileiro