Faça este curso, porque você precisa aprovar em seu próximo exame, concurso ou vestibular.

Verdade

Tem uma beleza que só é possível de se atingir através da felicidade. É uma beleza que muitas pessoas tentam perseguir e, quando perseguem, dificilmente alcançam. Porque a felicidade é simples, mas dá trabalho. Principalmente quando você já se acostumou a usar recursos externos para alcançá-la, armas que não pertencem a você e, por isso, são abstratas e ilusórias. Alcançar a beleza que a felicidade proporciona é o que faz a engrenagem da vida funcionar. E os meios de atingi-la têm que ser pessoais e intransferíveis.

Não entendeu? Um dia você irá entender. Entender que a vida já tem obstáculos por si só, e a gente tem que continuar a viver, mas que nós botamos peso demais e tudo depende da forma como encaramos. A carga extra de emoção é por conta da casa. Por que as coisas não podem ser mais simples? Aí é que está o ponto. Podem. E não é por otimismo que digo e, sim, por racionalidade. Pensar e ver sem o manto aquecedor da emoção, que, para muitas situações, é o melhor que há, mas para outras... para outras é melhor sentir frio. Compare com um banho gelado: é rápido. Mas na água quentinha, quem resiste a permanecer? Haja água...

Valorizar que a felicidade é genuína e não fabricada é o primeiro passo para a obtenção da beleza que vem de dentro, expressa através do brilho no olhar, do viço. Muitas vezes, olhamos para alguém com o passar dos anos e pensamos: “Que pena, fulano era tão bonito, perdeu o viço!” A beleza descrita nessa frase, “fulano perdeu o viço”, é perecível. O fulano em questão, se não fez uma plástica para mudar o nariz e pintou o cabelo, continua com os mesmos traços de beleza que o fizeram ser considerado bonito. Mas o viço que se perdeu, esse sim, é reflexo da vida que se levou, da felicidade interna, a qual não se disfarça, não se forja, está lá preservada quando alguém o vê. Talvez a vida tenha sido dura, mas se o sujeito soube levá-la com grandeza, amando, respeitando, e tendo essas coisas de volta, a leveza tenha sido preservada. E o olhar demonstre tanta vida vivida e tanta sede de vida no porvir.

A busca deve ser constante, a sinceridade deve começar numa autoanálise. Devemos ser honestos conosco. Devemos olhar e ver. Um olhar indiferente só enterra cada vez mais essa ânsia da felicidade e ela em si. O que eu posso fazer para ser feliz? Não pense em nada que não dependa de você e responda. Talvez essa resposta seja o caminho.


FIM

(Karla Rondon Prado, http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-02-04/karla-rondon-prado-verdade.html)



redação sobre verdade, beleza, felicidade, vida, obstáculos da vida, emoção, redação dissertativa sobre otimismo, racionalidade, felicidade interna, sinceridade, redação pronta sobre autoanálise, para ser feliz