Faça este curso, porque você precisa aprovar em seu próximo exame, concurso ou vestibular.

Uma sentença para todos os brasileiros

Há quatro anos, o jovem Rafael Mascarenhas teve sua vida interrompida ao ser atropelado enquanto andava de skate em um túnel no Rio de Janeiro. O caso de Rafael poderia ser mais um entre os crimes de trânsito em nosso país, que enlutam milhares de famílias a cada ano. Entretanto, no último dia 23 de janeiro, a Justiça carioca condenou à prisão o motorista responsável pelo acidente e seu pai, que não estava no automóvel e foi condenado por pagar propina a policiais.

Nesses anos à frente da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga acompanhei a luta de centenas de pais na busca por justiça. Infelizmente, na grande maioria dos casos, o crime de trânsito é tratado como “fatalidade”, “acidente” sem intenção de matar. Enterramos nossos filhos pela segunda vez, tomados pelo sentimento de impotência. É como se a vida tirada pelo trânsito tivesse um valor menor do que em outros crimes.

Mas, mais do que a punição, que certamente abrirá um importante precedente na Justiça brasileira, chama atenção a sentença do juiz Guilherme Schilling. A decisão do magistrado pune indiretamente a todos nós, brasileiros, que convivemos anestesiados com a violência motorizada. O texto faz um alerta à sociedade onde ainda impera a “cultura do herói” e o “jeitinho” no trânsito.

“Impõe-se uma reflexão sobre o tipo de sociedade que pretendemos para as futuras gerações ou, mais ainda, que tipo de cidadãos somos. Afinal, é essa uma das dificuldades atuais da humanidade no plano da ética. De nada vale o Estado reconhecer a dignidade da pessoa se a conduta de cada indivíduo não se pautar por ela”, diz um trecho do texto do juiz. A sentença ainda é mais dura com os pais, como o do motorista envolvido no acidente, ao destacar que acobertando os erros de seus filhos, superprotegendo-os das consequências de seus atos, criam indivíduos incapazes de agir com humanidade.

Esta decisão me dá uma injeção de ânimo, pois se o Brasil souber aproveitá-la, certamente seremos um país melhor. Um país onde, mais do que leis de trânsito, respeitamos a Lei da Vida.


FIM

(DIZA GONZAGA, http://wp.clicrbs.com.br/opiniaozh/?topo=13,1,1,,,13)



redação sobre sentença, cultura do herói, jeitinho brasileiro, redação dissertativa sobre crimes de trânsito, motorista brasileiro, injeção de ânimo, redação pronta sobre acidente de trânsito, cidadão brasileiro, humanidade, ética, redação dissertativa pronta sobre trânsito, propina, justiça, punição, justiça brasileira, decisão de magistrado, brasileiros, violência motorizada, redação sobre violência no trânsito, reflexão, sociedade brasileira, futuras gerações, dignidade da pessoa, redação dissertativa sobre leis de trânsito, lei da vida