Faça este curso, porque você precisa aprovar em seu próximo exame, concurso ou vestibular.

O rolezinho chegou a Cuiabá

Noticia-se que Shoppings Center de Cuiabá criaram normas para a entrada de menores nos estabelecimentos comerciais, principalmente, nas praças de alimentação; pois tem causado tumulto - cerca de 100 adolescentes e "espantado a clientela". Correm, gritam, assustam, enfim, “marcam seu espaço”. Por isso, são tachados, em geral, de “vândalos”, baderneiros”;“ arruaceiros”; ou seja, não são cidadãos dignos de entrar num shopping.

Poderão entrar, se acompanhados de maiores responsáveis. Deve ser algum acréscimo ao ECA- Estatuto da Criança e do Adolescente ou, ao direito de ir e vir, previsto na Constituição "cidadã", tão maltratada ultimamente.O fato merece alguma reflexão. Possivelmente, esses adolescentes são os comumente excluídos do uso dos bens sociais - lazer, esporte, etc.Prá não falar das carências educacionais que padecem no sistema público de ensino.

Os espaços do shopping são, assim, uma vasta área de lazer para eles. Não vão lá para consumir, pois não dispõe, a maioria, de recursos para tal. Vivemos tempos de mudanças graves de valores, ética e educação. A escola, a família, a igreja e outros referenciais dos jovens na sua formação, têm falhado e, o futuro desses jovens e do país que eles herdarão é, no mínimo, sombrio,analisando-se os exemplos que vêm de cima: impunidade, corrupção, violência geral e familiar. Os jovens, hoje, sabem o que se passa no Brasil- corrupção, mensalões, petrolão, e outros males; sabem que a renda nacional é apropriada por uma minoria-10% dos mais ricos, abocanham mais da metade da riqueza nacional.

A inclusão, pelo consumo do atual governo, disseminou a idéia de que prestígio social se vincula a bens adquiridos, se possível, top de linha. As políticas de inclusão social- como o Bolsa Família, Minha Casa Melhor, e outros programas oficiais, levaram a que parcela significativa da população- fala-se em 32 milhões de pessoas- saísse da linha de pobreza e, demandasse mais consumo- celular, computadores para os filhos, tênis da moda, lazer, etc.

Daí, o sentimento de ressentimento, fruto da condição social dos moradores das periferias, não está diretamente vinculado ao padrão de consumo -vários deles possuem casas com TV tela plana, celulares e tênis de última geração, mas ao descaso dos governantes- não possuem áreas ou programas culturais ou de lazer e são tratados com violência e, principalmente, pela discriminação das classes médias tradicionais.

Naturalmente, depredações, arrastões ou outros atos de violência, se praticados, devem ser coibidos. Não creio que a repressão social ou institucional vai resolver o problema. Enquanto não forem objeto/sujeito de políticas públicas que tragam esperanças de mudança de vida, de educação, lazer e emprego, o "rolezinho" será o caminho natural de se mostrar a revolta juvenil. Ou seja, é um segmento da população que quer ser incluído no "PIB social" brasileiro, e não apenas nas estatísticas do IBGE ou nas páginas policiais da mídia.

Se puderem receber um mínimo de educação de qualidade, saúde decente e atenção política, já terão caminhado bastante para sua integração comunitária. "O Brasil será uma das maiores, uma das mais formidáveis nações do mundo, quando todos os Brasileiros tiverem a consciência de ser Brasileiros." (Olavo Bilac). Quem sabe, não viremos a ser a tão sonhada "pátria educadora", a despeito dos 560 mil estudantes que tiraram zero na redação do ENEM.


FIM

(Auremácio Carvalho, http://www.folhadoestado.com.br/editorial/pagina/ver/opiniao/id/1793/titulo/O-rolezinho-chegou-a-Cuiaba, com modificações nossas para fins didáticos)



redação sobre rolezinho, Shopping Center, vândalos, baderneiros, arruaceiros, cidadãos, redação dissertativa sobre direito de ir e vir, constituição cidadã, adolescentes, redação pronta sobre bens sociais, carências educacionais, tempos de mudanças, ética, redação dissertativa pronta sobre sistema público de ensino, família, igreja, jovens no shopping, impunidade, redação sobre educação, escola, corrupção, violência, violência familiar, redação dissertativa sobre inclusão social, prestígio social, Bolsa Família, linha de pobreza, redação pronta sobre políticas de inclusão social, condição social, era do consumo, redação dissertativa pronta sobre discriminação de classe social, repressão social, redação sobre políticas públicas, mudança de vida, lazer, emprego, revolta juvenil, redação dissertativa sobre população brasileira, PIB social, IBGE, educação de qualidade, integração comunitária, Brasil, brasileiros, redação pronta sobre pátria educadora