Indicado como o melhor site de redação para concurso público, vestibular, prova do Enem e atividades escolares e acadêmicas. Visite-o!

Curso de Gramática da Língua Portuguesa


SUBSTANTIVO


DEFINIÇÃO

Substantivo é a classe de palavra que:

‣ sob o aspecto mórfico, apresenta as categorias de gênero (masculino e feminino) e número (singular e plural);

‣ sob o aspecto semântico, designa qualquer tipo de ser (coisas, pessoas, entidades etc.)

‣ sob o aspecto sintático, exerce a função de suporte ou alvo ao qual se ligam palavras modificadoras.



SUBCLASSIFICAÇÃO

A subclassificação dos substantivos é apresentada em caráter de oposição. Veja:

primitivo em oposição com derivado
simples em oposição com composto
próprio em oposição com comum
concreto em oposição com abstrato
coletivo em oposição com não coletivo


Eis a definição de cada um desses tipos subclassificatórios:

Próprio – o que nomeia um único indivíduo de um conjunto. Exemplos: Imbituba, Brasil, Marte, Platão, João da Silva Peixoto, Tiradentes.

Comum – o que nomeia todo tipo de elemento de um conjunto da mesma espécie. Exemplos: rapaz, árvore, fada, boate (qualquer rapaz, qualquer árvore, qualquer fada, qualquer boate).

Concreto – o que nomeia o ser apresentado em si mesmo, independente de outros, com existência própria ou que a imaginação aceita como tal. Exemplos: aluno, vestibular, cadeira, lobisomem, alma, pedreira, cimento.

Abstrato – o que designa qualidades, ações, sentimentos ou estados dos seres, dos quais se podem separar, mas dependem deles (dos seres) para existir. Exemplos: coragem, beleza, rapidez (qualidades); interpretação, leitura, edificação, estudo (ações); sofrimento, fome, alegria, saudade, ódio, amor (sentimentos); saúde, vida, morte, gagueira; autoconfiança (estados).

Simples – o que é formado de um só radical ou elemento. Exemplos: garoa, nó, água, chuva.

Composto – o que é formado por mais de um radical ou elemento. Exemplos: passatempo, pão-de-ló, aguardente, guarda-chuva.

Primitivo – o que não deriva de nenhuma palavra da língua portuguesa. Exemplos: flor, cabelo, chuva.

Derivado – o que deriva de de alguma palavra. Exemplos: florista, cabeleira, chuvarada.

Coletivo – o que, mesmo no singular, nomeia um conjunto de elementos da mesma espécie. Exemplos: alcateia, baixela, bando.


Então, apresentam-se, a seguir, alguns substantivos e suas subclassificações:

Juliana derivado, simples, próprio e concreto;
pedra primitivo, simples, comum e concreto;
caminhada derivado, simples, comum e abstrato;
bando primitivo, simples, comum, concreto e coletivo;
pão-de-ló derivado, composto, comum e concreto;



Segue, abaixo, uma lista dos principais substantivos coletivos e seus significados:


acervo de coisas amontoadas, de obras de um museu, de uma biblioteca, de bens patrimoniais
álbum de fotografias, de desenhos, de gravuras, de CDs, de músicas
alcateia de lobos
antologia de textos selecionados
arboreto de árvores cultivadas
armada de navios de guerra
arquipélago de ilhas
assembleia de membros, de parlamentares
atilho de espigas
atlas de mapas
bagagem de pertences de viagem
baixela de utensílios de mesa
banca de examinadores
bando de aves, de crianças, de malfeitores
batalhão de soldados
biblioteca de livros
boiada de bois
cacho de banana, de uvas, de cabelos
cáfila de camelos, de malfeitores
cainçalha de cães
cambada de desocupados, de vadios, de objetos enfiados como chaves
cancioneiro de canções
canzoada de cães
caravana de peregrinos, de mercadores, de viajantes
cardume de peixes
cartuchame de cartuchos
casaria de casas
casario de casas
caterva de animais, de vadios, de indivíduos de má índole
choldra de pessoas sem caráter, de patifes
chorrilho de coisas ou pessoas mais ou menos semelhantes, de tolices
chusma de pessoas comuns, de populares, de criados
clientela de clientes
código de leis, de normas
colmeia de cortiço de abelhas
conciliábulo de pessoas em assembleia secreta para realizar qualquer coisa má
concílio de bispos em assembleia
conclave de cardeais, de autoridades para tratar de assunto de interesse social
confraria de religiosos
congregação de religiosos, de professores
constelação de estrelas
cordame de cordas, de cabos de uma embarcação
cordoalha de cordas, de cabos de uma embarcação
corja de patifes, de velhacos, de canalhas
década período de dez anos
decêndio espaço de dez dias
discoteca de discos
elenco de atores
enxame de abelhas, de insetos
enxoval de roupas, de adornos do vestuário
fato de cabras
fauna de animais de certa região
feixe de espigas, de canas, de varas, de fibras musculares paralelas, de raios luminosos partidos do mesmo ponto
filmoteca de filmes
flora de vegetais de certa região
fornada de pães, de telhas, de tijolos
frota de navios, de ônibus, de táxis
gabinete dos ministros de estado
galeria de quadros, de estátuas
girândola de fogos de artifício
grei de paroquianos, de políticos, de gado miúdo
hemeroteca de jornais, de revistas
herbário de plantas
hinário de hinos religiosos
horda de invasores, de ladrões
hoste de inimigos, de soldados
irmandade de membros de associações religiosas e beneficentes
junta de dois bois, de médicos
júri de jurados
legião de anjos, de demônios, de soldados
leva de passageiros, de recrutas, de prisioneiros
malhada de ovelhas
malta de assaltantes, de bandidos, de desordeiros
manada de bois, de búfalos
mapoteca de mapas
matilha de cães de caça
maquinaria de máquinas
milênio período de mil anos
miríade de estrelas, de insetos
molho de chaves, de capim
nuvem de gafanhotos, de mosquitos
panapaná de borboletas em migração
penca de bananas, de chaves
pente de projéteis de arma de fogo automática
pinacoteca de quadros, de telas
piquete de grevistas, de soldados montados
plateia de espectadores
plêiade de sábios, de indivíduos notáveis
pomar de árvores frutíferas
prole os filhos de um casal
quadrilha de bandidos, de ladrões
raizame conjunto das raízes de uma árvore
ramalhete de flores
rancho de romeiros, de indivíduos em passeio
rebanho de carneiros, de ovelhas, de bois, de cabras
récua de cavalgaduras
renque de árvores enfileiradas
repertório de músicas, de peças teatrais, interpretadas por uma pessoa ou por um conjunto de pessoas
resma de quinhentas folhas de papel
réstia de cebolas, de alhos
revoada de aves voando
ronda de guardas, de sentinelas
ror grande quantidade de coisas
século conjunto de 100 anos
súcia de vadios, de malandros
tertúlia de intelectuais, de amigos, reunidos
time de atletas
tríade conjunto de 3 indivíduos ou de 3 coisas
tríduo espaço de 3 dias
triênio período de 3 anos
tripulação de pessoas em serviço em um navio, barco ou avião
tropilha de cavalos
turma de amigos, de alunos, de trabalhadores
vara de porcos
videoteca de vídeos
xiloteca de amostras de espécies de madeiras para pesquisas


COLETIVOS INDETERMINADOS

Aos coletivos indeterminados acrescenta-se o nome dos respectivos seres. Exemplos:

Uma nuvem de mosquitos.Uma nuvem de gafanhotos.
Um bando de pássaros.Um bando de crianças.


PALAVRAS SUBSTANTIVADAS

Palavras próprias de outras classes gramaticais podem ser substantivadas mediante a anteposição do artigo. Exemplos:

O viver é um dom de Deus.

Agora que estou nesta situação, tanto faz o sim como o não.

Eu só queria saber o porquê de sua decisão.

Quem ama o belo despreza o feio.


CONCRETO X ABSTRATO

Algumas pessoas encontram dificuldade para distinguir concreto de abstrato. O substantivo abstrato, como foi visto acima, é aquele que nomeia seres cuja existência depende da existência de outro ser. Para haver construção é preciso que alguém construa. Assim, construção é um substantivo abstrato. Para haver amor é preciso que alguém ame. Portanto, amor é substantivo abstrato. Como se pode ver, nesses exemplos, o substantivo abstrato sempre precisa de outro ser (alguém) para existir.

Um determinado substantivo pode ser concreto ou abstrato. Isso dependerá de seu uso no contexto. Em: “Qualquer escultura de Michelangelo é encantadora” a palavra escultura refere-se a ação de esculpir de outro ser (Michelangelo) e, desse modo, escultura é substantivo abstrato. Neste contexto: “A Pietá é uma escultura de Michelangelo”, escultura refere-se à obra que existe independentemente de outro ser, portanto é concreto.

Qualquer substantivo abstrato de qualidade, no plural, torna-se concreto. Exemplos:

• a altura (abstrato) – as alturas (concreto)
• a gentileza (abstrato) – as gentilezas (concreto)
• o vício (abstrato) – os vícios (concreto)
• a utilidade (abstrato) – as utilidades (concreto)
• a riqueza (abstrato) – as riquezas (concreto)



Fazer os exercícios da matéria desta página.